Forever old.
Epílogos e finais.

Esses dias em que a gente acorda querendo sorrir para o mundo mas no meio e fim do dia percebe que não dá.
São esses os dias em que a gente quer se esconder pra não ser engolido pelo mundo, porque sentimos vontade de engoli-lo.  
Esses dias em que a gente sente vontade de mergulhar numa piscina cheia de sonífero e se afogar, pra dormir por longos dias, ou nunca acordar.
São esses os dias em que a gente duvida do mundo e duvida da própria sombra.
Esses são os dias que nos levam a fina linha entre o próprio inferno e o céu imaginário.

Há 4 semanas on Março 18th | J | 0 notas
Há 2 meses on Janeiro 27th | J | 3.465 notas
… I’m always a little sad, even when I’m happy.
Tablo  (via melisica)
Há 3 meses on Janeiro 9th | J | 118.694 notas

Blue eyes.

Não sei. Insisto em dizer que, não, eu não sei o que é. 
Confuso e desconhecido sentimento que me invade sempre que penso em você. Mas eu evito pensar em você. Evitar é só evitar, não tem significado real se o assunto é você. 
Na primeira vez em que te vi, como o renascer eu quero dizer, sentia uma mistura de inúmeras coisas inexplicáveis também. Mas na verdade não tenho como esquecer de você parada na sombra, me esperando tímida, e quieta. Eu tentando olhar seus olhos através dos óculos escuros, e tentando esconder e segurar o riso frouxo que me causou. Senti vontade de te abraçar novamente, de te tocar, de tocar teus lábios. Aliás, senti isso desde a primeira vez. O que nos impede? Eu gostaria mesmo de ter lhe conhecido em outra vida, ou talvez que eu tivesse conhecido de uma outra forma, que nosso primeiro ”encontro”, realmente tivesse sido o primeiro. Mas não, infelizmente, ou felizmente.

Acho que é um delírio da madrugada, ou talvez seja só falta da sua presença. Sinto demais, mas não posso é sentir nada. Não sei o que sinto, mas as vezes, gostaria de apenas sentir sem me preocupar. Então se puder ver teu olhar em qualquer lugar, eu posso me desesperar por não ter mais o controle. Mas acho que nunca tive o controle… 

Só gostaria de estar… Mas você  não está.

Há 8 meses on Agosto 13th | J | 0 notas
Meus olhos foram cozidos pela insônia,
as bibliotecas estaduais sussurravam
meu virótico nome atrás de seu órfão que
atravessava noites alucinando odes pornográficos
e contemplava o amanhecer com dois cigarros
de marijuana uma prostituta deitada em sua cama
e um soneto pessimamente metrificado.
Metade do corpo para fora da janela eu vejo
máquinas amedrontadas pairando sobre a alienação
de tudo e todos e a chuva maltratando as crianças
esquálidas da praça e fico aqui em segundos
de mil pensamentos com meus lábios torcidos
e olhos vermelhos sobre o nada que rompe
as veias como um saxofone solitário percorre
a alma nas frígidas noites da terceira avenida.
Enzo Fonseca. (via severinar)
Há 8 meses on Agosto 12th | J | 163 notas

Um anjo em minha vida. 

Deixo que falem, que pensem o que bem entender. Eu realmente não me importo. Tem um milhão de coisas que não entendo, isso varia desde tentar entender porque as pessoas tentam o tempo todo de alguma forma jogar todo veneno sujo em cima disso até porque volta e meia sinto vontade de escrever pra você. Se fosse há dois anos atrás eu estaria escrevendo sobre você, estaria despejando mágoas através de palavras. Hoje me orgulho em dizer que não são mágoas, é sobre um sentimento puro e verdadeiro que me preenche que quero te contar. 

Tu foi a melhor coisa que me aconteceu em anos. Isso varia desde nossa breve história, que ainda que tenha lados negros, foi uma bela história. Foi bela por ter sido verdadeira, cada sentimento sendo bom o ruim, foi intenso, foi sentido, e embora tenha muito pesar, teve superação. Algo que construímos ao longo do tempo, onde teve muitas intervenções vindo de lados contrários jogando mentiras por todo lado, mas eu quero que saiba, sempre houve verdades vindo de mim. Agora tu sabes disso. 
Não há como negar nosso vinculo, nossa ligação. 
Eu sempre soube quando você estava mal, e nunca precisei que ninguém me contasse, nunca precisei estar perto pra saber. De alguma forma eu sentia isso em mim. E  por mais que vozes ao meu lado dissessem ” Bem feito né, já podes sorrir”, eu não sorria, porque aquilo me atingia também, e eu sentia em mim, não na mesma intensidade, mas eu sentia o peso dentro do peito. Agora você sabe que isso é real. 
Anos atrás eu pensava que nunca ia encontrar ninguém pra ocupar o teu lugar. Talvez eu estivesse certa, tu é mesmo insubstituível. Mas eu acho que quero dizer que aquele amor de querer como parceira, ele se foi. E hoje ficou um amor imenso, um carinho. Não é amizade, não é de irmã, não é de amor da minha vida. É só amor, que cresce cada vez mais. Queria te dizer que sou feliz em ter você na minha vida. Por termos superado os tumores que invadiram o que hoje seria tão belo. Mas acho que tudo que aconteceu foi necessário, porque talvez sem, hoje o que temos de tão belo, não seria tão excepcional. 
Quero ta presentes nas tuas conquistas, nas tuas quedas, nos teus sorrisos, e nas tuas lágrimas, porque lembre-se que a chuva pode vir, o temporal mais forte pode fazer galhos secos baterem em tua janela, eu vou atravessar a tempestade pra te ajudar. 
Tu é parte de mim, e se eu posso fazer parte da tua felicidade, que eu faça. 

Ainda que o mundo esteja contra, nesse rascunho velho ninguém mais rabisca. Te dou o lápis e a borracha pra me ajudar a escrever. Mas que seja lindo. Muito obrigada por tudo que sempre fez por mim, inconscientemente ou não, te deixo o meu obrigada, e a minha mão, pra que sempre que desejar cair, lembre-se que tem a minha mão pra te segurar.

Se cuida minha pequena, minha grande, amiga, parceira, irmã, mistura de tudo que me faz bem.

Há 9 meses on Julho 18th | J | 0 notas

A vontade de escrever não é suficiente para que as palavras saiam da minha cabeça. 

Há 9 meses on Julho 18th | J | 0 notas
houkgallery:

Abelardo Morell (American, b. Cuba, 1948)Camera Obscura: Garden with Olive Tree Inside Room with Plants, Outside Florence, Italy, 2009©Abelardo Morell/Courtesy of Edwynn Houk Gallery

houkgallery:

Abelardo Morell (American, b. Cuba, 1948)
Camera Obscura: Garden with Olive Tree Inside Room with Plants, Outside Florence, Italy, 2009
©Abelardo Morell/Courtesy of Edwynn Houk Gallery

Há 9 meses on Junho 29th | J | 2.319 notas
ciganear:

e o que deixo de fazer

ciganear:

e o que deixo de fazer

Há 10 meses on Maio 28th | J | 335 notas
Tá tudo tão neutro, tão nem aí, tão tanto faz. Que se você aparecesse aqui eu nem me alteraria. Já não há vontade de amor, passou, esfriou, morreu. Demorou demais.
Caio Augusto Leite.   (via inquietissime)
Há 11 meses on Maio 18th | J | 15.401 notas